Featured Slider

5 filmes que contam a história do Gaúcho.

9 comentários


O Quatrilho
A história se passa no ano de 1910, numa comunidade rural na serra do Rio Grande do Sul, habitada por dois casais muito amigos, que se unem sob o teto de uma mesma casa, unindo forças para enfrentar as dificuldades da vida, até que a esposa de um casal resolve se envolver e decide fugir com o marido do outro casal.
A maior parte do filme foi gravado na cidade de Farroupilha, tendo como plano de fundo de muitas cenas a Cascata do Salto do Ventoso e o caminho de pedras.




Anahy de las Misiones
O filme conta a saga de uma mulher e seus dois filhos que percorrem o estado do Rio Grande do Sul, durante a Revolução farroupilha (1835-1845). A história de uma mãe coragem que possui como único objetivo manter sua família unida a qualquer custo, e que para sobreviver perambulam pelos campos gaúchos entre os revolucionários farroupilhas e os legalistas caramurus, recolhendo os despojos dos combates. Em sua longa jornada pela sobrevivência, Anahy passa por episódios lendários e históricos da Guerra dos Farrapos.
O filme foi gravado em mais de 20 locações espalhadas pelo estado do Rio grande do Sul, sendo algumas das cenas mais marcantes rodadas nas cidades de Cambará e Caçapava do Sul.


A paixão de jacobina
O filme conta a história verídica ocorrida no ano de 1871 na cidade de Sapiranga, em uma colônia de imigrantes alemães luta para sobreviver aos efeitos da Guerra do Paraguai. Este foi um dos momentos mais conturbados da história de Sapiranga, quando no final do século XIX, Jacobina Mentz e seu marido João Maurer fundaram uma seita religiosa sediada no Morro Ferrabráz, sob o nome de “Muckers” (em alemão significa falso santo). Jacobina sofria de ataques epiléticos, isto fazia com que ela fosse vista como vítima de um transtorno nervoso, agravados por leituras de natureza religiosa. João Maurer realizava curandeirismo, e era auxiliado por sua esposa Jacobina que aos poucos foi misturando a religião no atendimento dos doentes, o que a tornou famosa por suas meditações milagrosas. Habitantes da região realizaram um abaixo-assinado buscando uma posição da imprensa local da época, contra Jacobina. Com isto surgiram diversos conflitos entre os grupos contra e a favor de Jacobina, o que acarretou em violência e morte. Porém, em agosto de 1874 um traidor chamado Pedro Serrani, levou as forças policiais até o esconderijo de Jacobina que foi morta junto com a maioria dos Mucker.





Netto perde sua alma
O filme conta a história de o General Antônio de Souza Netto, que é ferido durante a Guerra do Paraguai (1864-1870) e recolhido ao hospital militar de Corrientes, na Argentina.
Neste período, ele passa a perceber coisas estranhas acontecendo com outros pacientes ao seu redor, até o dia em que recebe a visita de um antigo companheiro de batalhas, o sargento Caldeira e juntos relembram o passado durante a Guerra dos Farrapos, passando por inúmeras histórias, encontros trágicos, amigos, inimigos e amores.


O tempo e o vento
O filme é baseado na trilogia homônima de Erico Verissimo, e retrata a história de 150 anos da família Terra Cambará e de seus oponentes da família Amaral, a partir das lembranças de Bibiana, personagem principal da trama e de seu marido Capitão Rodrigo Cambará.
Uma história de lutas, amores e disputas entre duas famílias que começa no período das Missões e se estende até o final do séc. XIX, apresentando também a história do período de formação do estado gaúcho e da disputa do território entre as coroas portuguesas e espanholas. O filme foi rodado com locações nas cidades de Bagé, Candiota e Pelotas.


Você já conhece o Rio Grande do sul e a cultura gaúcha ? Se  tens curiosidade assista os filmes e leia tambem o post que fala da semana farroupilha.


Orgulho de ser gaúcha.

Oque ler para conhecer a história do Rio Grande do Sul

Nenhum comentário

 Este é mais um post em comemoração a Semana Farroupilha, que inicia do 13 a 20 de setembro com as comemorações tradicionalista do Rio Grande do Sul.

Devido a pandemia da Covid 19 e a proibição de aglomerações  esse ano as comemorações vão ser bem diferentes.
Minha dica é que você conheça a nossa historia através da leitura.


A casa das sete mulheres é um livro  da escritora gaúcha Letícia Wierzchowski, foi lançado em 2002 e conta a história da saga da família de Bento Gonçalves, na época do Brasil Imperial, no momento em que os homens partiram para a guerra dos farrapos e as mulheres permaneceram à espera de um desfecho, na estância da família. O livro ganhou uma adaptação para a tevê com uma série homônima.



Minuano Livro do escritor Tabajara Ruas, mostra de uma forma singular a Revolução Farroupilha, contando como um cavalo crioulo viu o conflito que se iniciou em 1835 e se estendeu por 10 longos anos. Utilizando-se da mesma narrativa do filme Cavalo de Guerra (2011), em que o cavalo narra suas desventuras durante a I Guerra, o livro Minuano é leve e traz uma outra perspectiva a respeito da guerra dos farrapos.


Garibaldi e Manoela 
essa obra de Josué Guimarães o livro apresenta um texto delicado e preciso construindo uma história requintada, repleta de emoção que fascina o leitor, que acompanha o belo e triste romance entre Giuseppe Garibaldi e Manoela, sobrinha do general bento Gonçalves, ocorrido durante a revolução farroupilha.


O tempo e o vento

Leitura indispensável para quem quer conhecer uma pouco da história do Rio grande do sul, esta obra prima de Érico Veríssimo é composta por três livros:

O continente: Esta primeira parte da trilogia narra o nascimento do Estado do Rio Grande do Sul através das famílias Terra, Caré, Cambará e Amaral.

O retrato: Rodrigo Terra Cambará decide voltar a sua terra-natal, Santa Fé, após ter ido estudar medicina em Porto Alegre. Nesse segundo romance da trilogia acompanha-se a decadência social de Santa Fé na passagem para o século 20 causada por interesses e jogos políticos.

O Arquipélago: O terceiro e último romance da trilogia “O tempo e o vento” narra a volta de Rodrigo Cambará à Santa Fé depois de passar muitos anos no Rio de Janeiro ao lado do então presidente Getúlio Vargas, seu amigo e aliado. Assim, o poder da família Terra Cambará, que era somente local, adquire em “O Arquipélago” um âmbito nacional. Após o fim do Estado Novo, Rodrigo está derrotado politicamente e doente. Rodrigo se vê na luta de não morrer na cama, uma vez que “Cambará macho não morre na cama”.


Se você quer saber mais sobre a semana farroupilha acesse o link e leia mais.

Orgulho de ser Gaúcha.

PORQUE 20 DE SETEMBRO É FERIADO NO RIO GRANDE DO SUL?

Nenhum comentário
A data recorda o dia em que teve início a Revolução Farroupilha ou Guerra dos Farrapos.

Em 20 de setembro de 1835, os farroupilhas – liderados por Bento Gonçalves – venciam o confronto da Ponte da Azenha e entravam na província de Porto Alegre. 


Iniciou-se a Guerra dos Farrapos, o mais duradouro conflito armado da história do Brasil que resultou na declaração de independência do Estado do Rio Grande do Sul, dando origem à República do Piratini, que durou cerca de sete anos.

  Guerra dos Farrapos – também chamada de Revolução Farroupilha – é o mais longo conflito armado ocorrido em território brasileiro (teve início em 1835 e terminou em 1845). É considerada uma das mais importantes passagens da história do Rio Grande do Sul, um marco da formação social e política do Estado. A importância do dia 20 de setembro é tão grande que em 1978 foi decretado feriado em todo o Estado pela lei estadual 4.453/78.
 

 A semana farroupilha para nós gaúchos é semana de festas tradicionalistas ,mais não é apenas o dia 20 de setembro que é dia de festa no Rio Grande do Sul , temos os ctgs que são centros de tradições culturais que cultivam nossa tradições por todo o ano.



Post : Porque eu sou gaúcha , tchê.

Trilha nos Canyons : Fortaleza

9 comentários

O Parque Nacional da Serra Geral, em  Cambará do Sul foi criado em 20/05/1992, possui este nome devido à formação geológica em que se encontra.

O Cânion Fortaleza é um dos maiores e mais bonitos cânions da região. Sua extensão é de 7,5 km e suas paredes chegam a impressionante profundidade de 900 metros. Isso já é suficiente para responder o porquê de seu nome: a grandiosidade de suas paredes remete às antigas fortalezas do período medieval.

 

A Trilha do Mirante leva a um dos pontos mais altos do cânion. 


Aquele que por lá chegar extenuado pela subida, pode recuperar suas energias apreciando as planícies gaúchas e catarinenses e, com sorte, a cidade de Torres, em dias sem muita nebulosidade.


A beleza compensa o esforço, os cânions nos  deslumbram , com seus contornos ondulantes em uma paisagem natural. São vales profundos, como se fossem montanhas com a garganta aberta que rendem belíssimas fotos e momentos de descanso e reflexão.



 visite também:

 Caniôn Itaimbezinho

 Saiba oque usar na sua primeira trilha 

  Um dia em Cambará do sul

Um dia em Cambará do sul !

Um comentário
O roteiro faz parte de um dos bate e volta da maior operadora de turismo do Rio grande do Sul .


Faça você tambem  viagens econômica acessando Aqui .

Quer conhecer esse roteiro completo ?

O embarque inicia na capital em torno das 6h da manhã , chegando em Cambará do sul em torno de 10:30.

A primeira parada e para um mini café colonial por apenas $20 ,em padaria local - segundo piso.
 

Sendo que você  pode fazer seu lanche separado  pagando por unidade na parte frontal da padaria ou até mesmo ir ao super mercado enfrente.

Após o café embarque em ônibus secundário  que dá acesso ao parque (20km)e o valor é de $10,levando em torno de 40 minutos para a chegada ao Parque Nacional da Serra Geral.


Trilha 1 


A trilha tem aproximada 3,2Km ,mais ou menos 1h30min de caminhada até a chegada do Mirante do Cânion Fortaleza.


Durante a caminhada passamos por vários pontos de onde é possível apreciaremos a magnitude da natureza local, mas é ao final da trilha que conseguiremos admirar os imponentes paredões. Em dias ensolarados ainda temos a chance de ver parte do litoral gaúcho e das planícies catarinense.


Trilha 2

Trilha da Cachoeira do Tigre Preto, inicia no primeiro horário da tarde.

                                     


Trilha 3

Na última trilha  encontramos  uma intrigante formação rochosa , chamada de pedra do segredo(1,3km. +-30min).  



No retorno a cidade a alimentação foi na mesma padaria com a opção de um Xis por $15,00 encomendado na chegada ou a opção de outras variedades da padaria. 

se sobrar um tempinho dá para conhecer o minúsculo centro da cidade.

 

 Onde a atração principal é a arvore lunar (sequoia)que foi plantada em 1982, entre dois cambarás, na Praça São José , teve sua origem comprovada e passou a constar na lista da Nasa (Agência Espacial Americana) que referencia a localização do plantio de mais de 450 mudas que foram distribuídas a diversos lugares do mundo no projeto The Moon Trees.(árvores da Lua). 

O embarque para retorno a Porto Alegre em torno de 16:30.